Posted in:

Para aqueles que dizem: Eu Tenho Meu Estilo Próprio. Será?

E ae mano, tudo na boa?! Já repararam que a cada dia que passa, as pessoas que tentam achar o seu estilo próprio, elas partem do pressuposto de “ser diferente e único” para encherem a boca e dizerem: “Eu tenho o meu estilo próprio”.

Será mesmo?

O que acontece é: estas pessoas não sabem o que estão dizendo. Talvez pela falta do mínimo de conhecimento,  porque este termo é mais complexo do que acham. E não são somente os que dizem tal observação. Ainda tem uma galera que começam a rotular as pessoas do tipo:

“Olha o cara pagando de rockeiro ali!”

“Maninho acha que é playboy né!”

“Colocou aba reta já se acha o Mano das quebrada”

Eu tenho meu estilo próprio? Vamos a uma breve explicação e uma leve crítica.

 

“Poxa, eu tenho meu estilo próprio!”

Desde quando a moda começou a se influenciar nas ruas, começamos a perceber vários estilos. Da metade do século XX até o início do século XXI tínhamos realmente tribos urbanas bem classificadas e distintas. Na década de 70 podíamos claramente identificar quem era Punk e quem era hippie, ou até mesmo a galera da discoteca.

Já na década de 90 via-se de longe a turma do Grunge e os Mauricinhos.

Hoje temos dificuldade. Não vemos essa diferença gritante nas pessoas e seus grupos. Podemos dizer que ainda existem alguns que resistem, tentando viver movimentos e ideologias do passado, que costumo chamá-los de  “garotos nos tempos da vovó”. Não que eu esteja criticando estes movimentos, afinal, tiveram grande importância na história da moda e também na história geral do século XX.

Eu sou um grande admirador da estética Punk. Acho que todos já perceberam né! Mas não me classifico como tal.

 

Eu tenho o meu próprio estilo? Observando como um flâneur

Flâneur era um estilo de homem do século XIX em Paris, caracterizado por Baudelaire como:

“aquele que perambula, observando as pessoas e a cidade.”

Ou seja, ao observar o street style e as pessoas, fazemos como um Flâneur. Mas não vim aqui falar sobre isto e sim do descuido ao usar o termo “Eu tenho meu estilo próprio”.

O grande problema nesse termo é que vivemos em uma época tão acelerada e tão movimentada, com tantas informações que fica difícil definir o determinado estilo de alguém. Veja bem, vivemos em uma época que tudo se misturou.

A calça rasgada do Punk hoje anda pelo Mauricinho juntamente com uma camisa Lacoste e também pulseiras que lembram os hippies.

Definir um grupo pertencente a uma pessoa e ainda mais definir se ela tem “um estilo próprio” é algo inviável para os dias de hoje. Pode-se misturar tudo o que gosta, mas isso não quer dizer que seja seu estilo e sim uma conglomeração de vários estilos. Dizer que você tem o seu estilo próprio é partir do zero e criar algo inovador e inédito. É fazer como Chanel, Dior ou David Bowie, por exemplo, estes grandes nomes da moda. Criar algo jamais visto e assim partilhar com o mundo.

Então, quando pensar em dizer: eu tenho o meu estilo próprio, pense bem. Em grandes nomes da moda e em todas as tribos urbanas do século XX.  Tribos que tiveram um intuito para acontecer e usar o que usavam. Sim, elas nos deixaram bastante heranças na moda, e, graças a elas, hoje podemos brincar e nos divertir com a diversificação de peças e estilos.

E aqui no final vou a dizer: misturar vários estilos não é ter estilo próprio.

 

 

 

É isso ae pessoal! O que acharam dessa minha observação? O que pensam a respeito? bora discutir nos comentários?

 

 

 

  • http://rotazerohum.com.br/ João Lipe Mello

    Ter estilo próprio é saber se vestir de uma maneira que não precise gastar rios de dinheiro, mas sim de forma que se sinta bem e que transpareça confiança e poder. O estilo atemporal é um exemplo que você sabe que não sai de moda e fica bem em qualquer situação.

    • Willian Júnio

      Da pra se pensar muito sobre o que disse João! o estilo atemporal pode servir muito bem como conflito de gerações,

  • https://instagram.com/caiowilsonoficial/ Caio Wilson

    Nossa esse foi o primero post que li do blog e preciso adimiti que amei,e irei vir todos os dias conferi tudo,muito bom o modo que escreve e etc..Parabens ganharam mais leitor!

    • Willian Júnio

      Obrigado man! 😉

  • Augusto Quepe

    Ah mas combinações de estilos pode ser um estilo, depende-se o q se combina com o que. Pq nem todo mundo combina os mesmo elementos de forma igual.

    • Willian Júnio

      Sim cara! mas tentei explicar que não há nada de novo na moda, principalmente na masculina! 😉

  • Kevin Capobianco

    Hoje existe sim um mundo diverso onde a informação chega as pessoas muito mais rápido, assim sabendo que usar xadrez e listrado junto fica ridículo. Assim as pessoas tem mais argumento de julgar, mas em meu ponto digo que a moda veio da mídia onde que toda essa mistura de tribo foi graças a esse impacto tecnológico que o mundo teve.
    Mas dizer que esses meninos q vc denominou “garotos nos tempos da vovó” eu já discordo. Desde que a moda surgiu hoje vc não identifica mais nada como vc mesmo disse, isso quebra a raiz e a marca da sociedade, onde as pessoas não podem mais mostrar o que quer passar.

    Diria assim, antigamente, quem usava moicano, era Punk e ponto final, qualquer um pode bater o olho e ver isso. Mas hoje não, se o Neymar usar moicano todos vão usar independente se é Punk ou não, quebrando a identificação de um grupo e pessoa… Hoje até pessoas de classe baixa seguem uma moda (não que a classe social não possa estar na moda). Exemplo os Funkeiros, onde todos olham e consegue identificar um, mas eles não quebraram esse padrão pq eles estão seguindo a moda, mas a moda da mídia que pois aquilo a eles, tipo: “Para vc ser funkeiro vc tem que usar isso e acabou”, isso é muito triste pq tira a identidade da pessoa, onde hoje se eu sair com uma camiseta da minha banda favorita mostrando que esse é o grupo que pertenço é isso que eu gosto mas usar uma calça Skinny vermelha eu ja sou denominado uma pessoa que não pertence a esse mundo e me chamariam o que muitos dizem “POSER”.
    Mas eu quero chegar que hoje se eu me vestir todo de preto com uma camiseta de banda e cabelo comprido porem arrumado, vão me denominar Rockeiro sim, mas se eu estiver vestido desse jeito porem sem a camiseta de banda e outra qualquer as pessoas ainda podem me chamar de rockeiro mas dentro do grupo de amigos que curtem rock ja não vão, pq ja existe uma moda dentro desse grupo pois a midia pois isso, ela conseguiu colocar uma moda dentro de cada tribo e misturar tudo ou seja, tirando a identificação de cada pessoa, onde vc sai de um e ja entra em outro não conseguindo sair de nenhum padrão.
    Assim digo que uma pessoa que diz que tem seu próprio estilo na verdade esta dentro da moda, mas em um grupo social diferente. Porem se esta bem vestido é o que importa, só depende também que a observa, para uns é normal e bonito, para outros é simplesmente ridículo.
    Bem esse é meu curto comentário. kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Willian Júnio

      A mídia sempre existiu, não essa baseada na internet e advinda da globalização, mas mesmo no século XIX já existia uma mídia, ja existiam quem ditavam tendências, mas essa mistura de estilos que no meu ponto de vista, não deve ser denominado “estilo próprio” é o que tentei explicar. Como e porque começou essa “popularização de todos”? ta certo que houveram muitas mudanças a partir de meados do século XX, mas isso está muito além da moda. São conflitos políticos e alienações sociais!

  • Anônimo

    “Estilo uns tem, outros acham que tem.”

  • Max Nunes

    É meio louco isso aqui…

    “Ter estilo próprio” faz parte de todo mundo, mas concordo plenamente que tudo vem de misturas de tribos, mas partindo desse pressuposto, “ter estilo próprio é ter estilo nenhum” e seguir um estilo “é ser igual a todo mundo! (dentro daquela tribo,claro).

    Eu tenho varios estilos, isso vai depender de onde estou e de como estou.
    Trabalho no dpto de Marketing de um Shopping, então venho trabalhar numa linha mais social, mas ai chega o fds e durante o dia pego uma praia, já me jogo na linha de short estampado e regatão, quando chega a noite e vou pra balada, tô de calça jeans rasgada e camisa polo.. Qual estilo tenho? Nenhum? Vários? O meu?
    O post ficou massa, mas não ficou tão claro pra mim, e confesso que eu queria conseguir encontrar mais a linha de estilo que gosto de seguir, mas acho mesmo é que curto o estilo adaptado pra cada ambiente mas as vezes me sinto com um pouco de falta de personalidade e com varias personalidades no meio disso tudo…
    No mais, vou ler mais aqui pelo blog! Essa dai foi minha primeira leitura aqui e já curti demais!!
    Valeu galera.