Posted in:

Como se comporta um homem de verdade?

Seria você elegante e educado? Sempre digo e reitero nesse post que para mim a elegância para ambos os sexos está com certeza em apenas um uma palavra: educação. É claro e evidente que esta palavra apenas significa que ela é o ponto de partida para inúmeras outras qualidades que todos nós devemos ter.

Claro que não sou um saudosista, vivo e convivo no tempo na qual estou, logo, estamos na era da glorificação da imagem e das mídias sociais, e com isso somos bombardeados com imagens de pessoas do mundo inteiro, mesmo que às vezes mal sabemos o nome ou de onde surgiu aquele sujeito, quem dirá a história de vida dele, porém de algum modo ele pode te influenciar com a imagem que ele representa, seja na roupa ou na sua postura.

Com plena certeza digo que sou também influenciado pelas imagens que vejo, porém nunca me esqueço da minha realidade e que no campo das relações interpessoais, sugiro que não misturemos elegância e educação. Prova disto que digo é a quantidade exorbitante de mulheres e homens que usam Hermès (como simbologia ao luxo) mas não cumprimentam com um simples bom dia alguma pessoa que lhe sirva um café. Isso é elegância? Grito que não! É a educação que demonstra que você é uma pessoa elegante.

No campo da moda, devo dizer que nós brasileiros – em especial os homens – , talvez estejamos não tão bem servidos de boas marcas. Aliado a isto, ainda não nos atentamos como deveríamos utilizar conceitos básicos de como se vestir bem, como caimento e tecidos. Suspeito que os fabricantes e produtores de moda aproveitam disto para produzir peças com qualidade inferior. Com isso, o que vemos acontecer? Homens brasileiros com passagens aéreas marcadas para Miami para se entupirem de marcas como: Tommy Hilfiger, Burberry, Armani, Diesel , Seven, Lacoste e Polo Ralph Lauren. Saliento que gosto, consumo e valorizo estas marcas citadas, porém o caminho que normalmente o homem brasileiro sempre vai é a mesma: OS PRODUTOS INSTITUCIONAIS DA MARCA. Talvez o motivo disto é a falta de conhecimento, falta de apuro de estilo, além da falta de conhecimento da própria marca.

Exemplificando, talvez o que os homens mais consomem da Burberry seja a camisa polo com detalhe xadrez. Sempre visualizei nesse campo da moda que somos ovelhas adestradas, somos nós os selecionados para determinado produto, porém nossa função como seres pensantes é de mudarmos isso. Pense nisso.

Enfim atentem-se, homens brasileiros, o melhor é sermos cordiais e educados com as mulheres, homens, crianças e idosos. E aproveitando, votarmos em políticos realmente relevantes ao invés de simplesmente ficar comprando passagens aéreas para Miami para enxugarmos os outlets americanos.

Selecionei algumas imagens que representam um pouco de como visualizo o mundo que me cerca.

Salut, mes amis! À bientot!

Powered by Rock Convert

2 Comments

Fazer comentário
  1. Sobre a moda masculina brasileira, Tufi Duek deu uma entrevista interessante no programa Roda Viva. Minha opinião é simples: o brasileiro não sabe se vestir, e quem se destaca um pouco nisso e fala sobre moda, é taxado de homossexual. Mas também concordo que é difícil encontrar roupas boas. Quando falo boas, não me refiro exclusivamente a caras e de grife. Acho plenamente possível se vestir bem e gastar pouco.

  2. Gostaria de dicas sobre algumas dessas possibilidades de vestir bem e gastar pouco, influências dos tecidos e combinações de cores entre outras dicas como estas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *